GRANDE TOUR CAVALEIROS LOUCOS

motoristas malucos do grand tour

Matteo partilha connosco alguns momentos do GRAND TOUR de FRANCECORTA no passado dia 23 de junho, 1,900 m, 5 graus e muita chuva! Ingredientes perfeitos para uma EXPERIÊNCIA de condução FULLGAS ainda mais cheia de adrenalina!!!!
Uma Vanda superequipada com um bgm motor que empurra como um trem, além bgm Suspensão e freios para nos manter colados ao chão.

você também pode encontrar o artigo aqui!

SEXTA-FEIRA, 22 DE JUNHO

Pronto para ir! A “Vanda” (minha Vespa PX) fica ainda mais bonita quando carregada de bagagem! Destino? Grande Tour pela “Franciacorta”!
Confesso que há um pouco de emoção antes da partida, muitos quilômetros me aguardam, vou embora sozinho (talvez eu esteja ficando velho, já que um fio branco na minha barba me faz notar?); Porém, como sempre, assim que ligo o motor e ouço aquele burburinho regular do 2 tempos, acompanhado por um fio de fumo… a adrenalina aumenta à medida que a vontade de percorrer os Kms!

Franciacorta é uma zona montanhosa do norte de Itália que dá nome a um típico vinho branco espumante… É exactamente isso que nos espera em Franciacorta, colinas, provas de vinhos e as belas paisagens que emolduram a zona, ou seja, lagos e montanhas!
No final da tarde cheguei ao meu destino, um lindo Bed and Breakfast rodeado de muito verde, uma enorme casa de fazenda reformada que me acolhe, “Vanda” e meus primeiros amigos chegaram para o passeio de amanhã! A noite passa rapidamente na pequena cidade, liderada por Nicola (também conhecido como Gino, o local) que nos leva a um lindo pub com boa cerveja gelada e muita vida noturna! Uma tempestade está vindo em nossa direção, mas o sol está previsto para amanhã!

Sábado, dia 22

9h, encontro marcado na cafeteria para tomar café da manhã, distribuir os gadgets e ir embora! Que bom reencontrar tantos amigos, rever o Valter, um piloto de Vespa que me “salvou” quando fiquei preso durante uma viagem de inverno, e FINALMENTE reencontrar alguns seguidores do meu canal no Youtube (Vespa Crazy Riders) como os grandes Massimo e Stefano!
Café e croissants para nos abastecer, tanques cheios, Vespas barulhentas e pronto! Obrigado ao Giuseppe e à Deborah que nos encantaram participando com sua Vespa GL (Gran Lusso) 1964... Além de completar 60 anos, a Vespa deles é muito especial porque, como testemunha Giuseppe com muitas fotos antigas em preto e branco, participou de muitas competições ao longo dos anos, seladas pelos pais e tios de Giuseppe! Passeio pela Sicília, gincanas, corridas de regularidade, um pedigree muito respeitável que hoje nos homenageiam com esta linda surpresa!

Começamos imediatamente com algumas vistas de sonho, fecho o grupo e ver estas lindas Vespas dançando levemente entre as curvas, imersas no verde das vinhas e por vezes nas passagens estreitas das antigas muralhas de quintas e castelos, emociona-me profundamente!
Porém, a maior alegria me é dada por uma criança, da varanda de sua casa ele nos observa passar, tem 7/8 anos, levanta as mãos para o céu e grita espontaneamente “YEEEEEEH!!!”
Esta é a Vespa, você simplesmente adora! É lindo, é simpático, simplesmente entra no coração de uma criança que não sabe o que é, mas só de olhar já basta para que o seu formato fofo transmita a alegria e as emoções que os entusiastas da Vespa sentem ao montá-los juntos!
Está calor, o sol está alto e estamos até com um pouco de sede! Bem a tempo de chegar à adega “Mirabella Franciacorta” onde, após uma visita que parte das vinhas até às caves históricas, provamos vários tipos deste espumante fresco, liderados pela nossa experiente e simpática guia, Chiara.

Estamos de volta à sela! Agora fica sério! Roçamos algumas curvas lindas, largas e arredondadas, em uma estrada lisa que sobe a montanha e depois desce novamente e abre uma vista para o azul do Lago Iseo!
Um piquenique com vista para o lago é tudo o que precisávamos, incluindo sanduíches, queijos, a tradicional carne apimentada ucraniana trazida por Yaro e Oksana, o bolo do Stefano e o café que preparo estritamente na cafeteira! Agora a grande travessia! Mais de 100 Km de curvas nos levarão pelas colinas que separam o Lago Iseo do Lago Idro, entramos direto nas montanhas, na floresta, um território um tanto selvagem com uma estrada que começa muito tortuosa. Sigo o lindo PX branco “sem indicadores” do Riccardo que agrada ainda mais aos olhos. A meio do caminho encontramos alguns pilotos holandeses de Vespa, em digressão com a sua Rally 200 (versão dedicada ao mercado do Norte da Europa, com algumas diferenças, como as entradas de ar fechadas).
A estrada abre-se então, tornando-se rápida, suave, mais relaxante, como deveria ser ao anoitecer, quando o cansaço aumenta e agora contornamos o Lago Idro ao pôr do sol. Um belo hotel nos espera ao longo da costa verde e tranquila…

Um passeio para conversar e relaxar um pouco, depois jantar com uma excelente truta do lago e o quiz com tema Vespa para ganhar os vários litros de BGM Pro Race Oil oferecidos pela ScooterCenter para a ocasião!

DOMINGO 23

Hoje tem a cereja do bolo do passeio, o Passo Crocedomini, com seus 1,892m de altitude, mas está chovendo. Está chovendo muito.
Vejo alguns olhares um pouco preocupados, com razão… mas sabe, quando vejo condições climáticas difíceis fico ainda mais animado e sei que pular a parte mais bonita do passeio nos deixaria insatisfeitos.
Avaliamos o clima com atenção e olhamos atentamente para as montanhas na direção que precisamos seguir… “Isso pode ser feito” digo a mim mesmo, vamos chover, mas é possível. Dada a altitude, o único problema podem ser as mãos frias, por isso “vamos pedir ao hotel umas luvas de látex” para protecção extra!

Começa a subida ao passo Crocedomini! Está chovendo, a paisagem é realmente envolvente, a estrada é muito bonita mas também muito íngreme, está chovendo muito, mas estamos felizes!
É o nosso desafio rumo à subida, não desistimos de jeito nenhum! A cada quilómetro que passa sei que estamos todos um pouco mais frios, que a água começa a entrar em algum canto das nossas roupas, que a visibilidade por trás da viseira diminui, mas os Crazy Riders não desistem de um metro, no Ao contrário, eles empurram com força e até as Vespas empurram com força!
Paro para tirar umas fotos e depois posso “aproveitar” o atraso acumulado para dar FULLGAS à Vanda que, com tunidade térmica bgm PRO, sobe furiosamente em todas as marchas, que prazer! Vejo que até os outros pilotos ficam surpresos ao ouvi-lo cantar!

O que me surpreende neste desfiladeiro é que à medida que se sobe em altitude a vegetação continua espessa e verde; bosques, pinheiros, aromas de sempre-verdes e terra molhada, quando de repente se abre, achata e aqui está o nosso refúgio! A investida de Massimiliano que se alegra na sela com o braço para cima me dá a medida do que acabamos de fazer! É verão mas estão 5 graus, estamos muito molhados e com frio, mas todos estão felizes e sorridentes! Até porque finalmente chegamos ao refúgio, onde aproveitamos o fogão, vários chás quentes e ótimas sandes!! Era necessário!!!

Ainda não acabou! Partimos recarregados, mas a descida talvez seja ainda mais desafiadora para manter as Vespas sob controle nas curvas e na frenagem na descida, meu PX anda como se estivesse em uma pista, chegamos à planície e… dois furos para Massimiliano e Gino, quase ao mesmo tempo! A primeira gradual dá a Massimiliano a oportunidade de parar com segurança, a segunda é violenta, perigosa, completa com uma derrapagem, felizmente controlada por reflexos ultrarrápidos e uma pitada de sorte. A causa? Cachos de metal no asfalto. Tubeless é o caminho! Sim, todos nós precisamos de Tubeless, não podemos mais arriscar assim (estou dizendo isso a mim mesmo).

Os últimos Kms sugestivos são novamente no Lago de Iseo, na outra margem. Uma falésia com vista para o lago, uma serpentina constante entre pedras cinzentas e água azul, quase nenhum trânsito e o som do motor do Roberto (PX 125, nada original) ecoando nas paredes… nossa!

Estamos no final do passeio, um último chá quente com um enorme brioche recheado acompanha-nos na despedida e prepara-nos para o regresso! Foi bom, juntos, numa Vespa! Um verdadeiro impulso de “VESPISMO” que te rejuvenesce (e aquela barba branca já não existe).

Com os “Spilungons” (Dani e Bárbara) e Romeu regressamos pela auto-estrada, onde Vanda faz os últimos 200 kms em grande estilo. Ps Se os bilhetes de auto-estrada molharem ficam presos no leitor causando filas na portagem, desculpem motoristas em trânsito naquele dia, agora eu sei!!

Deixo vocês assim, com essa foto romântica da Bárbara admirando as chaminés de Brescia e com a frase mais linda que você me disse “Quando será o próximo?”